Superman: A Foice e o Martelo

O Superman, além de ser o primeiro super herói, sempre foi um ícone da cultura americana e de seu desenvolvimento (o homem do amanhã como muitos o chamam), contudo… e se o personagem fosse o marco de uma outra cultura? È o que propõe a mini-série Superman – A foice e o martelo (Superman: The red son). Divida em três partes, a história foi escrita por Mark Millar e tem desenhos de Dave Johnsson.

Ao invés do foguete de Kal-el cair na América capitalista… ele acaba caindo na Rússia comunista de Stalin. A partir daí vemos um cenário completamente novo se desenrolando naquele universo. A proposta é mostrar toda a mudança cultural que o Superman traz para o mundo com sua aparição. O que vemos no decorrer da história é uma Rússia próspera em total ascensão com o maior herói do mundo a sua frente contra uma América liderada por Lex Luthor que aos poucos chega ao poder, casando-se com Lois Lane e tendo como missão pessoal derrotar o kriptoniano.
Cada um dos capítulos mostra uma época diferente da trajetória do herói mostrando o tempo passando e os personagens envelhecendo. E a cada edição mostrando os bastidores do poder russo, a ascensão desta como grande potência econômica, outras nações seguindo seu exemplo e o isolamento e decadência do Estados unidos. De maneira irônica, a HQ sugere que sem seu maior símbolo de poder e representação, a América não seria a grande potência que ela é.

Outros personagens fazem parte da história como a Mulher maravilha que também seria comunista trazendo o apoio da ilha paraíso ao regime do Superman, uma versão do bizarro fazendo referência ao superman da era de ouro, Batman com uma história trágica também nessa realidade… e é claro, Luthor ainda obcecado por derrotar o Superman e uma Lois Lane quase que perdida por não ter Clark com ela. A relação dela com Luthor e Clark chama bastante a atenção já que parece que ela mesma vê que tem algo errado. Isso sem mencionar os personagens históricos como o próprio Stalin no primeiro número.
Essa versão de Superman caiu mesmo no gosto dos leitores que se tornou uma das muitas terras paralelas do universo DC. Sendo revisitada (desnecesário mas…) na mini-série Contagem regressiva (Countdown) por Troia, JasonTodd e um monitor e ainda em uma mini-série extra chamada Countdown Arena, onde esse superman comunista enfrenta outras duas versões suas.

De modo geral, é uma mini-série que traz o que se pensar em realação ao simbolismo do superman, capitalismo e de um sistema econômico diferente do nosso sem parecer o clichê de “comunistas comem criancinhas e adoram o diabo”.

SUPERMAN: A Foice e o Martelo (Superman: Red Son)
Roteiro: Mark Millar
Arte: Dave Johnsson
Editora: DC Comics (EUA), Panini Comics (Brasil)
Publicado originalmente em 2003

Por José Weingartner Jr, professor e artista do DINAMO STUDIO, para a série LEITURA RECOMENDADA

Comentários