Fazer Quadrinhos

Fazer Quadrinhos

O colega e autor, Marco A. Rigobelli, em seu blog, publicou um interessante artigo sobre a paixão de se fazer histórias em quadrinhos, uma arte secular, que vence dia a dia a barreira do tempo modernizando-se. Ele gentilmente permitiu a re-publicação de sua crônica aqui no site do Curso Dinamo HQ. Leia logo abaixo!

Fazer Quadrinhos É…
Escrito por Marco A Rigobelli

Eu já ouvi dizerem que quadrinhos é coisa de vagabundo, que quadrinhos não dá futuro. Disseram-me até que fazer quadrinhos é uma coisa fácil que eu não deveria complicar tanto, é só colocar ilustrações dentro de quadros e textos dentro de balões. Mas isso é um equívoco sem tamanho, isso não é fazer quadrinhos, o autor de quadrinhos talvez seja o mais completo dos artistas, pois não lhe basta apenas ser um bom desenhista, ele também deve ser um ótimo escritor e um grande contador de histórias, ele deve conhecer o seu publico melhor do que conhece a si mesmo e também tem que manter contato com esse publico quase a mesma quantidade de tempo na qual se dedica aos seus trabalhos.

Sergio Aragonés

Sim, fazer quadrinhos é um trabalho árduo, mas fazer quadrinhos também é uma grande diversão. Já que fazendo quadrinhos você nunca perde a criança que vive em seu interior, além de sempre sentir muito mais prazer admirando o seu próprio trabalho pronto do que admiraria qualquer leitor que não esteve diretamente envolvido no projeto. Outra coisa muito satisfatória é o fato de ver os seus próprios trabalhos crescerem, seus personagens se desenvolverem, mudarem, amadurecerem e viverem situações que você sonhou viver ou viveu desde a sua infância, ver aquele jovem garoto com uma bola nos pés virar um astro do esporte, ver aquele jovem cavaleiro bondoso se tornar um demônio por causa de seu coração partido, descobrir que grandes poderes trazem grandes responsabilidades… Enfim… Fazer quadrinhos é um grande prazer, pois fazendo quadrinhos nós brincamos de ser deus, e não existe brincadeira mais divertida que essa.

Fazer quadrinhos é isso e muito mais, já que a arte seqüencial como chamou pela primeira vez o mestre Will Eisner, que deus o tenha, vive sempre em constante evolução e transformação. A partir daqui tudo o que eu peço é que os quadrinhos sejam mais respeitados principalmente nesse país já que eles foram importantes no mundo inteiros inclusive em guerras, peço que os quadrinhos recebam muito mais apoio principalmente do governo que nesse ano que passou criou vários projetos de incentivo para a produção de jogos de vídeo game, e para aumentar o crescimento do cinema nacional. Espero que essa expressão artística seja lembrada pelo nosso presidente.

Na imagem: um quase auto-retrato de por Gene Colan em seu ambiente de trabalho, a mesa de desenho. Colan foi um dos principais desenhistas do personagem Homem de Ferro (em seus primordios), na Marvel Comics,

[ad#demo-advert]
[ad#buscape-horiz]

Deixe um comentário

comments