Dragonball Evolution [resenha]

Dragonball Evolution [resenha]

Confesso que saí da exibição especial, realizada pela Fox em Porto Alegre, tentando traçar paralelos com outras adaptações de quadrinhos que pecaram nas telonas, mas acabei percebendo, à medida que refletia e ouvia os argumentos de colegas que assistiram ao filme junto comigo, que por mais que eu tente comparar Dragonball Evolution (Dragonball Evolution) com algo pior, ele ainda será bastante ruim.

O roteiro tem zilhões de furos. Existem nele citações vazias ao mangá, como por exemplo, nomes de raças alienígenas que são absolutamente desconhecidas para quem nunca passou perto da história original. Romances começam do nada; o vilão não tem uma motivação explicada para querer dominar o mundo; o herói em poucos dias se converte de perdedor da escola a salvador da Terra; e todos os personagens entram na trama de forma abrupta e parecem não se conectar uns com os outros. Não há possibilidade de alguém se identificar com algum dos integrantes da trama. Eles são rasos quando surgem na tela e não ganham profundidade ao longo do filme. Yamcha, por exemplo, não serve para absolutamente nada na busca pelas Esferas do Dragão e Chi Chi é apenas um belo enfeite.

Como a cópia exibida na sessão especial que assisti era dublada, pouco posso falar das atuações. No entanto é perceptível que Justin Chatwin não é o pior ator do mundo e que se esforça para ter o jeito abobalhado que o personagem Goku preserva tanto no mangá original quanto no anime que surgiu posteriormente. Se não atinge um resultado plenamente satisfatório, ao menos se esforça.

Quanto ao Mestre Kame não há o que se comentar. Ele foi absolutamente descaracterizado na pele de Chow Yun-Fat, em parte por culpa de quem o escalou para o elenco (não há nenhuma semelhança física com o original), mas o ator poderia pelo menos ter caprichado na interpretação para buscar algum nível, mesmo que com um mínimo de fidelidade. James Marsters estava lá, interpretando o vampiro Spike (das séries Buffy e Angel), como sempre, e fingindo ser Piccolo.

Comecei esta resenha praticamente dizendo, em palavras brandas (ou nem tanto), que o filme é muito, muito ruim, mas seria injusto terminar sem ressaltar um ponto positivo. Se o público-alvo a ser atingido era o infantil, Dragonball Evolution, mesmo não acrescentando nada de bom à cultura das crianças, serve para divertir (e APENAS para isso). Na exibição em que assisti, centenas de crianças estavam presentes como convidadas e, quando Goku solta um Kame Hame Ha em Piccolo, todas elas se levantaram e bateram palmas. Diverte, arranca palmas, mas ainda é uma grande bomba. Por favor, não esqueçam.

Resenha originalmente publicada no website HQ MANIACS.

Emerson Vasconcelos
Colunista do website
HQ MANIACS e
Integrante do
Dinamo Studio
Dragonball Evolution (EUA, 2009 – 84 min)
Direção: James Wong
Roteiro: Ben Ramsey e Akira Toriyama
Elenco: Justin Chatwin, Chow Yun-Fat, Emmy Rossum, Jamie Chung, James Marsters, Joon Park, Eriko Tamura, Randall Duk Kim


Deixe um comentário

comments