Depois de: AMAZING FANTASY #15

A Marvel Comics, em seu aureo inicio, nos anos 60, tinha como precedente revistas de terror e ficção científica publicadas sob o selo Timely Comics. Nelas, nenhum super-herói mascarado era visto, somente criaturas fantásticas, concebidas pelo gênio criativo de Jack Kirby, Steve Ditko, entre tantos outros fantasticos colaboradores do escritor/editor Stan Lee. O motivo? Estas revistas tinham distribuição feita pela empresa responsável por fornecer as publicações da DC Comics, que já dominava o mercado dos super-heróis uniformizados. Logo, a Timely utilizava-se da logistica de distribuição da DC, desde que não fizesse concorrencia direta com a linha editorial da casa de Batman, Superman, Mulher Maravilha, Flash, entre outros.

As primeiras investidas da então novata Marvel Comics ainda respeitavam o acordo comercial feito entre as duas empresas. Foram lançados o Quarteto Fantástico (seres com super-poderes, mas que não usavam máscaras), Doutor Estranho (um mago), O Incrível Hulk (um monstro) e o Poderoso Thor (com suas histórias dentro do universo da mitologia nórdica), ou seja, nenhum “super-herói de capa e máscara (ou somente máscara, tanto faz), que viesse diretamente em encontro com o público da DC.

Com boas vendas nestes segmentos (magia, ficção, terror e mitologia), a Marvel teve carta branca, após solicitar sinal verde da DC, para uma tentativa de publicação no segmento “personagem mascarado”. Neste momento, dentro das páginas de Amazing Fantasy #15 (a revista já publicava anteriormente histórias de ação e ficção da Timely), é lançado O HOMEM ARANHA (confira o episódio 79 do ARGCAST: O Espetacular Homem-Aranha)

Um mix interessante de sideck (parceiro juveníl) e protagonista (que só tivera precedentes em popularidade e originalidade nas páginas de Capitain Marvel, da Fawcett Comics, nos anos 40), o Homem-Aranha é considerado por muitos o verdadeiro pontapé inicial do surgimento da Marvel Comics, e que desencadeou diversos outros super-heróis (mascarados) da editora.

Na celebre capa da primeira aparição de Spider-Man, Steve Ditko desenha o herói singra os céus de Nova Iorque segurando em uma de suas mãos um criminoso, e na outra sua famosa teia.

Este momento foi referenciado por outras publicações e artistas.  Veja abaixo as imagens DEPOIS DE: Amazing Fantasy #15

        

Ironia ou não, coincidência ou não, em 1939, a DC Comics tinha em sua revista Detective Comics #27 a estreia de outro personagem igualmente popular… Batman. E na sua capa, vemos Batman singrando os céus de Gothan City, segurando um criminoso numa mão, e na outra, sua popular Bat-Corda.


Comentários